Governo do Estado do Rio Grande do Sul
Início do conteúdo

CBMRS resgata família à deriva em colchão inflável

Alguns objetos são de uso exclusivo para piscinas e não se tratam de equipamentos de salvatagem

Publicação:

CBMRS resgata familia à deriva na Lagoa Barros
CBMRS resgata familia à deriva na Lagoa Barros - Foto: 9° BBM
Por Sd Kelly Motter - ACSP/CBMRS

No feriado de Carnaval (16/2), uma família que estava à deriva em um colchão inflável, foi resgatada pelo Corpo de Bombeiros militar do Rio Grande do Sul (CBMRS), na Lagoa dos Barros em Santo Antônio da Patrulha.

Cinco adultos e uma criança entraram na Lagora dos Barros com um colchão inflável e o vento os afastou da margem. 

O efetivo de Santo Antônio da Patrulha e um guarda-vidas nadaram até as vitimas e uma embarcação com outra guarnição também deslocou ao local. 

A família foi trazida em segurança para a margem.

A área onde os banhistas estavam não era próximo a guarita dos guarda-vidas, contrariando as orientações de segurança. Nenhuma pessoa se feriu.

Alguns objetos são de uso exclusivo para piscinas e não se tratam de equipamentos de salvatagem. 

Flutuadores de maneira geral são objetos que boiam na superfície aquática e por vezes suportam o peso de uma pessoa. A utilização de objetos flutuantes para natação deve ser vista com muita cautela.

O primeiro cuidado é não depositar toda a garantia de sustentação na água no flutuador. Frequentemente as pessoas perdem o flutuador e se afogam. 

Outro dado importante é que a maioria desses flutuadores não foi concebido para águas abertas. São objetos que são utilizados de forma equivocada e provocam uma “falsa” sensação de segurança. Entre os mais usados nas águas, piscinas, rios e até no mar são: boias de braço, boias diversas, câmeras pneumáticas, bolas, colchões infláveis, pranchas e até garrafas pet. 

Convém salientar que há objetos exclusivos para piscinas e não se tratam de equipamentos de salvatagem homologados pela autoridade marítima, como bóias circulares e coletes salva-vidas

No mar não é aconselhável utilizar qualquer objeto flutuante em razão de possibilitar um avanço em direção a aguas mais profundas até mesmo pelo vento e correntes facilitando a ocorrência de acidentes e óbitos.

Siga nossas dicas e aproveite seu verão com segurança.

Se podemos vê-lo, podemos protegê-lo.

Corpo de Bombeiros Militar do RS